O que é o plano de parto


Já falei aqui no blog que minha opção foi por um parto normal humanizado, no hospital. Agora, já na reta final da gravidez, estou me preparando para esse momento e uma das coisas essenciais a se fazer é o plano de parto. Mas o que danado é isso?, muita gente pode perguntar. Calma que vou explicar direitinho sobre o que se trata.

O que é o tal plano de parto

Normalmente quem opta por um parto humanizado tem o acompanhamento de uma doula, que vai te orientar como construir esse documento. Sim, o plano de parto é um documento onde vão estar todos os seus desejos para o momento da chegada do seu bebê. Como falei lá no outro post, a mulher é quem decide a forma como quer que seu filho venha ao mundo e isso envolve várias questões. Para formatar e deixar tudo preto no branco, a doula é fundamental, pois ela pode esclarecer cada ponto e tirar todas as suas dúvidas (depois faço um post explicando direitinho o trabalho dessa profissional).

plano-de-parto-evdm
Estudando alguns planos de parto antes de montar o meu

A gente não precisa se submeter às vontades de uma equipe médica ou de um hospital. Não precisamos parir na cama com estribo; não precisamos tomar ocitocina sintética; não temos que ficar na posição imposta ou com a roupa que te mandarem; podemos comer sim; podemos escutar música, receber massagens e mais o que for. Mas isso tudo, claro, vai depender da sua vontade e de estar totalmente confiante na sua equipe. Então, no plano de parto, você vai imaginar como quer que esteja o ambiente em que seu filho vai nascer (seja ele no hospital ou em casa), quem você deseja que esteja presente, o que você quer que lhe seja oferecido e os procedimentos e intervenções no período expulsivo e também no pós parto, com você e com o bebê.

Feito o seu plano de parto, juntamente com a doula, você conversa com seu obstetra e também com o/a neonatologista, para todos ficarem cientes das suas vontades e te esclarecerem sobre pontos que acharem necessários. Ou seja, para formatar esse documento é preciso estar bem informada sobre os procedimentos existentes, os mitos que envolvem o nascimento, sempre pensando no melhor pro bebê, claro.

No plano deve ter o nome e contato de todos os envolvidos no processo: equipe médica, hospital (com endereço), doula, acompanhantes… e você deve levar ele na hora de ir ao hospital, se for o caso. Além disso, deve escrever também um “plano B”, caso haja alguma intercorrência inesperada. Tudo tem que ser bem descrito, para que todos os envolvidos possam saber quais os desejos da mulher para aquele momento, que é tão dela.

Vou dar alguns exemplos de alguns itens importantes do plano de parto para que fique mais claro.

  • Ao perceber que entrou em trabalho de parto, o que quer que aconteça? Quem você vai chamar? Quando pretende ir ao hospital (se for hospitalar)?
  • Bolsa deve ou não ser rompida artificialmente?
  • Quer ter sua barriga empurrada?
  • Quem vai cortar o cordão umbilical? Você quer que ele pare de pulsar para cortar?
  • O bebê deve tomar banho logo após o nascimento?
  • Quer que aconteça a episiotomia (corte no períneo)?
  • Em caso de passarem as 41 semanas de gestação, o que quer fazer?
  • E em caso de bebê pélvico?
  • Que intervenções você deseja que sejam (ou não) feitas no seu bebê logo após o nascimento? (nitrato de prata, vitamina K, sondagem retal, aspiração…)
  • E em caso de cesárea, como a equipe deve proceder? (ambiente, acompanhantes, intervenções…)

Enfim, essas são só algumas das inúmeras as questões a serem colocadas no plano de parto. Com a ajuda de uma boa doula e de uma equipe realmente humanizada, seu documento vai ficar completo e você terá um parto tendo seus desejos respeitados. E, claro, você também deve estar muito bem informada sobre todos os itens. Afinal, o corpo é seu e só você para saber o que é melhor para você e pro seu filho.


Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *